Promoção!

PORQUE É QUE A VIDA ACELERA À MEDIDA QUE SE ENVELHECE

15.15 € 13.64 €


Susana Canhoto
9789896410681
166
15,3 x 23,3 cms
Capa Mole
410 gr

Será verdade, como escreveu o romancista Cees Nooteboom, que «a memória é como um cão que se deita onde quer»? Para onde foram os longos verões preguiçosos da nossa infância? Porque é que, à medida que envelhecemos, o tempo parece condensar-se, acelerar, iludir-nos, enquanto os eventos significativos do nosso passado parecem tão reais e nítidos como os de ontem? Neste livro, Douwe Draaisma, autor de Metáforas da Memória, explora a natureza da memória autobiográfica. Recorrendo a uma sensibilidade que é tanto académica como poética, e a uma observação atenta, aborda fenómenos extraordinários, como o déjà-vu, experiências de quase-morte, as proezas dos que sofrem de síndrome de Savant e os efeitos do trauma extremo sobre a memória.

«Tal como Oliver Sacks, Draaisma tem a habilidade de comunicar, de divertir com os prodígios da mente nesta exploração da memória autobiográfica. É um prazer ler capítulos sobre o déjà-vu, o síndrome de Savant, traumas e primeiras e últimas recordações, que oferecem uma perspectiva nova e convincente de como e porque é que nos lembramos.»

[Sue Baker, Publishing News]


Será verdade, como escreveu o romancista Cees Nooteboom, que «a memória é como um cão que se deita onde quer»? Para onde foram os longos verões preguiçosos da nossa infância? Porque é que, à medida que envelhecemos, o tempo parece condensar-se, acelerar, iludir-nos, enquanto os eventos significativos do nosso passado parecem tão reais e nítidos como os de ontem? Neste livro, Douwe Draaisma, autor de Metáforas da Memória, explora a natureza da memória autobiográfica. Recorrendo a uma sensibilidade que é tanto académica como poética, e a uma observação atenta, aborda fenómenos extraordinários, como o déjà-vu, experiências de quase-morte, as proezas dos que sofrem de síndrome de Savant e os efeitos do trauma extremo sobre a memória.

«Tal como Oliver Sacks, Draaisma tem a habilidade de comunicar, de divertir com os prodígios da mente nesta exploração da memória autobiográfica. É um prazer ler capítulos sobre o déjà-vu, o síndrome de Savant, traumas e primeiras e últimas recordações, que oferecem uma perspectiva nova e convincente de como e porque é que nos lembramos.»

[Sue Baker, Publishing News]

REF: 1722034 Categoria: