Promoção!

A IMAGINAÇÃO E A ARTE NA INFÂNCIA

12.12 € 10.91 €


Miguel Serras Pereira
9789896410452
128
15,3 x 23,3 cms
Capa Mole
242 gr

A Imaginação e a Arte na Infância é uma das primeiras obras escritas pelo psicólogo russo Lev Vygotsky (1896-1934) tendo sido editada pela primeira vez em 1930.
Vygotsky aborda neste seu livro a natureza e o desenvolvimento da imaginação artística nas crianças a partir dos conhecimentos científicos da sua época, mas com intuições que permitiram que continue a ser uma referência para a psicologia contemporânea tendo sido traduzido nas mais diversas línguas, entre as quais a inglesa, castelhana, japonesa e italiana.
A partir do confronto das suas ideias com alguns dos principais investigadores do seu tempo, Vygotsky elabora as suas próprias concepções em relação com as expressões criativas infantis no desenho, na escrita e no teatro.

«A psicologia chama imaginação ou fantasia a esta actividade criadora do cérebro humano baseada na combinação, dando a estas palavras, imaginação e fantasia, um sentido científico diferente. Na sua acepção corrente, costuma entender-se por imaginação ou fantasia o irreal, o que não se ajusta à realidade e, portanto, é desprovido de valor prático. Mas, em última análise, a imaginação, como base de toda a actividade criadora, manifesta-se igualmente em todos os aspectos da vida cultural, possibilitando a criação artística, científica e técnica. Neste sentido, absolutamente tudo o que nos rodeia e foi criado pela mão do homem, todo o mundo da cultura, na medida em que se distingue do mundo da natureza, tudo isso é produto da imaginação e da criação humana, baseando-se na imaginação.»


A Imaginação e a Arte na Infância é uma das primeiras obras escritas pelo psicólogo russo Lev Vygotsky (1896-1934) tendo sido editada pela primeira vez em 1930.
Vygotsky aborda neste seu livro a natureza e o desenvolvimento da imaginação artística nas crianças a partir dos conhecimentos científicos da sua época, mas com intuições que permitiram que continue a ser uma referência para a psicologia contemporânea tendo sido traduzido nas mais diversas línguas, entre as quais a inglesa, castelhana, japonesa e italiana.
A partir do confronto das suas ideias com alguns dos principais investigadores do seu tempo, Vygotsky elabora as suas próprias concepções em relação com as expressões criativas infantis no desenho, na escrita e no teatro.

«A psicologia chama imaginação ou fantasia a esta actividade criadora do cérebro humano baseada na combinação, dando a estas palavras, imaginação e fantasia, um sentido científico diferente. Na sua acepção corrente, costuma entender-se por imaginação ou fantasia o irreal, o que não se ajusta à realidade e, portanto, é desprovido de valor prático. Mas, em última análise, a imaginação, como base de toda a actividade criadora, manifesta-se igualmente em todos os aspectos da vida cultural, possibilitando a criação artística, científica e técnica. Neste sentido, absolutamente tudo o que nos rodeia e foi criado pela mão do homem, todo o mundo da cultura, na medida em que se distingue do mundo da natureza, tudo isso é produto da imaginação e da criação humana, baseando-se na imaginação.»

REF: 1752002 Categoria: